Os ministros

Também no dia 1º os novos ministros de Dilma tomaram posse, são trinta e nove ministérios, mas o que mais me surpreende é a clara sinalização da presidente para  manutenção da direção da Petrobrás. Mas isso é assunto para outro post, vamos aos ministros. Por motivos de força maior vou citar apenas os ministérios que considero mais importantes, caso você queira ver a biografia e o nome de cada um é só acessar AQUI.

Educação

Cid Gomes é o novo ministro da Educação. É ex governador do Ceará e irmão de Ciro Gomes, seu partido é o PROS e ele foi a cota do partido pelo apoio durante as eleições.

Casa Civil

Aloizio Mercadante, do PT, foi nomeado a uma das pastas mais importantes do governo e o motivo é bem simples: seu desempenho durante as eleições. Ele foi um super cabo eleitoral e tornou-se peça fundamental para Dilma.

Comunicações

Ricardo Berzoini (PT) volta o governo. É um dos homens fortes do PT. Foi ministro de Lula, quando o mensalão estourou deixou o governo para assumir a secretaria geral e posteriormente a presidência do partido. Ensaiou o retorno ao governo quando assumiu a Secretaria de Relações Institucionais no início do ano passado e agora virou ministro das comunicações. Vamos ver se ele vai manter a linha de proteção de Marco Aurélio Garcia ou se vai aumentar a blindagem da presidente.

Fazenda

Joaquim Levy, do banco Bradesco, assumiu a pasta. No momento, é um dos ministérios cruciais para o governo pela diminuição do crescimento e toda a instabilidade na economia internacional. É um dos setores mais delicados do governo e que necessita de reformas imediatas. É interessante ver que ela escolheu um representante de banco para assumir o ministério, pois ela havia criticado a proximidade de Marina Silva com os dirigentes do Itaú e dizia que ela entregaria o país aos bancos. Ela pode estar próxima dos bancos e não entregar o país aos banqueiros, qualquer outro candidato não tem essa capacidade. Para mim não cola muito, mas muita gente acredita nessa idiotice e é isso que conta, né?!

Planejamento

Nelson Barbosa assumiu o lugar de Miriam Belchior e já foi secretário executivo do ministério da Fazenda. Além de outros cargos no próprio MF, ocupou postos no Banco do Brasil, BNDES e Banco Central. Já deve estar bem acostumado com o jeito de Dilma e o passo do governo.

Trabalho

Manoel Dias, do PDT, foi mantido no cargo. Tradicionalmente o PDT ocupa esse posto e requisito aqui não é mais currículo, apenas o partido mesmo. Voltamos ao assunto das cotas partidárias.

Banco Central

Alexandre Tombini também foi mantido. Ele atende bem as necessidades de Dilma, chegaram a cogitar que ele seria o novo ministro da Fazenda, mas ela preferiu mantê-lo no BC. Nenhuma surpresa.

No total, quatorze ministros foram mantidos no cargo e cinco foram remanejados para novas pastas. Todos os demais são novos. A divisão partidária ficou bastante interessante e o PT ganhou mais espaço também. Aparentemente, Dilma escolheu pessoas que tem a sua confiança e não confiança do partido. Não sei se ela está querendo se desgarrar, mas é difícil desvincular a imagem da presidente da do partido ou de Lula. O marketing foi feito basicamente para que o povo acredite que eles são um só, sair dessa vinculação vai ser bastante difícil.

Lá em cima tem o link para ver todos os ministros e analisar a direção do novo mandato da presidente.

Divirta-se!

Por Ana Paula Ramos

Anúncios

Deixe sua opinião

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s