Sobre perdas

Hoje perdemos um ícone da política brasileira. Hoje perdemos Eduardo Campos e pela primeira vez eu senti um enorme pesar que eu nem sem explicar de onde vem. Nunca senti isso com a morte de um desconhecido.

Vinha acompanhando os passos de Eduardo Campos antes dele se aliar a Marina. Quando ele apareceu como possível candidato ele já estava no meu radar político há dois anos por causa de uma visita que fiz a uma cidade de Pernambuco enquanto ele era governador. Na época ele tinha acabado de ser reeleito e ainda nem tinha tomado posse no segundo mandato.

Quando você visita uma cidade de interior que reconhece seu governador e enumera os motivos pelos quais votaria repetidas vezes nessa pessoa, o mínimo que você pode fazer é ficar de olho nesse cara. Foi isso que fiz, mas só do ano passado para cá que comecei a acompanhar mais de perto os passos dele e o novo projeto de Brasil que ele idealizava.

Eduardo

Ao se aliar a Marina, que ninguém queria pelo custo político de uma união desse porte, ele ganhou ainda mais meu coração porque eu sabia que ela devia ter visto algo diferente nele para aceitar a coligação. Não acho que ela seja perfeita nem concordo com todos os pontos de vista dela, mas acho que na política atual ela é um dos poucos peixes grandes (grande sim, ninguém ganha 20% dos votos de um país a toa) que luta contra a maré da corrupção e se mantém coerente.

Com a propaganda partidária de abril e a bandeira de união em torno de um programa de governo e não de interesses políticos percebi que muitas coisas que eu acredito estavam reunidas na figura dele. Foi a primeira vez que vi alguém colocando elementos novos no discurso, novidades que visavam o bem comum, novidades que realmente tinham poder para mudar a cabeça das pessoas e o país.

Eu sei que ele não era o único que lutava por essa causa, mas a força política de Eduardo Campos foi perdida e precisaremos de mais algum tempo para conseguir recompor essa linha de batalha. Sei que a perda de um pai de família não se compara a nenhuma dor do mundo, mas aquele pai fará muita falta ao Brasil.

Não foi só a família Arraes que perdeu, foi a nação brasileira. A impressão que tenho é que parte do meu sonho de mudança se foi com ele (eu sei que é dramático), mas eu gostaria muito que essa tragédia servisse para nos unir em torno de seu pensamento. Da ideia de que podemos ter um Brasil melhor construído por nós dia a dia através da nossa consciência política e de nossa preocupação com o bem estar de todos e não de meia dúzia.

A situação política para o PSB agora não é fácil, mas deixemos isso para outros posts o dia hoje é de pesar por uma perda irreparável. Que Deus conforte a família dele e de todos os que perderam a vida no acidente.

Por Ana Paula Ramos

Anúncios

Um pensamento sobre “Sobre perdas

Deixe uma resposta para LINI LEILA DUARTE Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s